Blog GlobalSign

06 mai 2019

Segurança Inteligente para Cidades Inteligentes

A urbanização é um fenômeno mundial. As Nações Unidas estimam que até 2050, 68% da população mundial residirá em áreas urbanas, um aumento vertiginoso em relação aos 55% que residem nas cidades da Mãe Terra atualmente. Essa migração metropolitana está pressionando os planejadores e gestores urbanos e formuladores de políticas públicas a otimizar a gestão de suas comunidades e criar estabilidade econômica sustentável, proporcionando aos seu eleitorado uma melhor qualidade de vida. As Cidades Inteligentes, possibilitadas pelo rápido avanço de dispositivos conectados, sistemas de software e tecnologias de transmissão de informações, estão ajudando esses profissionais a enfrentar esse desafio.

A procura pela tecnologia de cidade inteligente

A implementação de iniciativas de Cidade Inteligente, considerando a originalidade do conceito, foi um esforço individual. Algumas cidades começaram com apenas um ou dois projetos para testar a purificação de água, ao passo que outras cidades buscaram ativamente o status de cidade inteligente de maneira mais abrangente. Quando o conceito de cidades inteligentes surgiu pela primeira vez, ele começou a ser adotado aos poucos. As tecnologias eram novas, as implementações costumavam ser um desafio, e a aceitação geral não era totalmente garantida. Não é de se estranhar que a segurança nesse tipo de adoção de tecnologia específica tenha sido – e ainda seja – negligenciada.

Todavia, recentemente, a tendência de se adotar uma abordagem dinâmica e planejada para a adoção de Cidade Inteligente está se tornando uma forma mais cautelosa e estratégica de adotar a tecnologia. De acordo com o site Smart Cities Dive, o planejamento inclusivo é uma das principais tendências de cidade inteligente de 2018. “Esses planos abrangentes de cidades inteligentes colocam um foco renovado na inclusão, particularmente no que se refere à instalação e distribuição de projetos inteligentes”. Além de isso ser extremamente benéfico para a equidade cidadã nas comunidades atendidas – todos podem utilizar igualmente o serviço prestado e nenhuma comunidade é ignorada, também é uma ótima notícia para a segurança dos serviços em si.

Descobrimos que, quando a tecnologia da IoT é implementada de maneira cautelosa e bem planejada, a segurança conquista de forma legítima um papel mais proeminente. A segurança por design ocorre quando a segurança se torna um fator de design principal, assim como qualquer recurso de tecnologia que esteja sendo contemplado.

O custo da falha na segurança

Embora os fabricantes de produtos estejam inundando o mercado com novos "produtos inteligentes" em uma disputa para ser o primeiro no mercado, os municípios precisam agir de forma mais cautelosa. A possível falha de segurança de um projeto de Cidade Inteligente pode ter um impacto muito maior e consequências muito mais graves. Vamos analisar o exemplo de iluminação e comunicação. Muitas cidades inteligentes estão usando os postes de luz como backbone para redes de campo (FAN - Field Area Networks) em toda a cidade. Dispositivos, gateways e redes não protegidos são um terreno fértil para hackers interessados em causar interrupção em toda a cidade e possível tomada controle do sistema. Imagine quarteirões inteiros com postes de luz apagados, com a possibilidade de tornar o trânsito caótico, comprometendo a segurança da vizinhança e interrompendo a comunicação móvel.

Considere outra iniciativa comum de Cidade Inteligente – a medição inteligente. Agora imagine um serviço público metropolitano sendo invadido, causando interrupções de energia ou comprometendo as informações pessoais de clientes ou os dados de pagamentos. Esses são possíveis acontecimentos de grande dimensão que afetam comunidades inteiras, não apenas usuários individuais. Os possíveis riscos e impactos são reais. Segundo pesquisas da IBM e do Poneman Institute, o custo médio de uma violação de dados é US$ 3,86 milhões de dólares. Isso é o suficiente para estourar o orçamento de qualquer cidade.

Onde as cidades inteligentes buscam orientação

Como as áreas urbanas estão adotando tecnologias de cidades inteligentes, surgiram organizações para ajudá-las a encontrar financiamento, adotar as melhores práticas e padronizar sua estrutura para políticas de dados e tecnologia. Em 2015, o Departamento de Transportes dos EUA realizou o concurso Smart City Challenge, concedendo US$ 50 milhões para impulsionar os avanços tecnológicos nas cidades dos EUA. Hoje, o Smart Cities Council – a maior coalizão do setor, perpetua essa tradição. Recentemente, eles abriram as inscrições para o “2019 North American Readiness Challenge, programa anual que até agora já ajudou quase uma dúzia de cidades e estados a promover iniciativas de cidades inteligentes”.

A GlobalSign está ativamente envolvida com organizações que promovem implantações seguras de IoT em todo o mundo. Organizações como o Industrial Internet Consortium (IIC) estão ajudando a estabelecer estruturas através de tecnologias. Eles trabalham para acelerar a Internet das Coisas Industrial (IIoT) de forma segura, buscando obter resultados transformadores. A Wi-SUN Alliance, associação global das empresas do setor dedicada à conectividade ininterrupta, está comprometida em apoiar o desenvolvimento mundial de redes de comunicações sem fio para uso em serviços públicos, cidades inteligentes e aplicações da Internet das Coisas (IoT). Da mesma forma, a plataforma de dispositivos da IoT Arm® Mbed™ Pelion fornece o sistema operacional, serviços em nuvem, ferramentas e ecossistema de desenvolvedores para possibilitar a criação e a implementação em escala de soluções da IoT comerciais baseadas em padrões.

Além disso, as organizações de padrões tradicionais estão adaptando suas diretrizes recomendadas para englobarem os desafios atuais de segurança de Cidade Inteligente e IoT. O National Institute of Standards and Technology (NIST), laboratório de ciências físicas e agência não reguladora do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, publica uma Estrutura de Segurança Cibernética . “Esta estrutura voluntária é composta de normas, diretrizes e melhores práticas para gerenciar riscos relacionados à segurança cibernética”. A Gartner estima que, até 2020, 50% das empresas privadas dos EUA, operadores de infraestrutura essencial e países em todo o mundo usarão a estrutura à medida que desenvolvem e implementam tecnologia, incluindo cidades inteligentes, serviços públicos inteligentes e IoT.

Esses grupos são fundamentais para auxiliar os tomadores de decisão de cidades inteligentes no planejamento para a obtenção de resultados melhores e mais seguros na implementação da IoT. Incentivamos cidades inteligentes, serviços públicos inteligentes e mercados da IoT relacionada a cidades a definirem uma estrutura comum sobre políticas de dados, a levarem em consideração os padrões estabelecidos – incluindo um forte padrão de segurança de identificação, autenticação e criptografia que facilite a integração – e a iniciarem programas piloto que promovam sucesso na adoção.

O papel da GlobalSign na segurança da cidade inteligente

A segurança de cidade inteligente é um compromisso conjunto que envolve diversos parceiros – fabricantes de sensores e atuadores, provedores de gateway, placas de padrões e até mesmo desenvolvedores de sistemas operacionais com foco específico em infraestrutura de cidade inteligente. A Plataforma de Identidades para a IoT da GlobalSign é uma parte importante desse ecossistema fundamental de segurança da IoT integral e conectado.

Com base na comprovada infraestrutura de chave pública (PKI), a Plataforma de Identidades para a IoT da GlobalSign combina a escalabilidade e a capacidade de Autoridade Certificadora (AC) da GlobalSign para emitir, implementar e gerenciar identidades de dispositivos com segurança durante todo o ciclo de vida da identidade de dispositivos. Antes de os dispositivos se comunicarem com a rede, nossa Plataforma de Identidades para a IoT autentica a identidade dos dispositivos, autoriza a comunicação e garante a integridade dos dados por meio de criptografia para proteger todo o ecossistema. Isso ocorre milhares de vezes por segundo, a cada segundo, a cada hora, a cada dia. A facilidade de integração por meio de uma API permite que nossos clientes e parceiros façam da segurança por design uma parte viável de suas iniciativas de cidade inteligente.

Inevitavelmente, todos os municípios empregarão, em algum momento, tecnologia de cidade inteligente para gerenciar melhor os recursos e melhorar a vida dos moradores de suas comunidades. Todavia, a forma como gerenciam a segurança determinará o sucesso de seus empreendimentos. Comunicação autenticada, autorizada e criptografada é uma garantia do sucesso.

Este material foi adaptado da versão em inglês. Clique aqui para ler a versão original.

Share this Post

Seja parte da nossa história. Publique em nosso blog!

Contate-nos

Destaques

A ICP-Brasil e a GlobalSign educando e apoiando a Transformação Digital no Brasil

10 Bons Motivos para Migrar para as Soluções da GlobalSign a fim de Potencializar a Confiança e a Segurança através da PKI